sábado, 25 de junho de 2011

Conflitos em tese

Dedico essa poesia ao EREM


Em tempos de guerra
Não quero estar em meio ao tiroteio
Não subirei ao topo da serra
E nem me alinharei ao mato rasteiro

Em tempos de paz
Quero o conflito de direito
Cujo respeito
É de mais valia que o controle perspicaz

Quero viver o "Não sei"
Sem negar meu dever de pensar
Mas a construção do que serei
Exige refutar o acreditar

Somente assim
Dentro do meu desalinho
Renderei o meu "sim"
À um certo caminho

E VIVA A REVOLUÇÃO!


Ana Carolina Alencar

Nenhum comentário:

Postar um comentário