sábado, 26 de fevereiro de 2011

Eternamente
Às vezes o vazio me consome
E as lembranças não se apagam
Meu coração agoniza
Entre tantas feridas abertas
Entre sonhos e desejos despedaçados
Onde a realidade mortal
Se consagra eterna!
Ana Carolina Alencar

Nenhum comentário:

Postar um comentário