quarta-feira, 19 de julho de 2017

Poesia Urbana


Poesia apressada
A passos longos
Das calçadas estreitas
Das horas aflitas

E a saudade maneirinha...

Do ruir dos calçados
Em tempos apertados
Da saia assanhada
Do cabelo desbaratado

E a saudade branda...

Poesia breve
Da insonia às três da matina
Do café às quinze pras seis
Dos braços solitários
Do olhar cansado

E a saudade própria...

Do amor orçamentário
Da felicidade hermética
Da prosperidade cética

E é só saudade.











Nenhum comentário:

Postar um comentário