domingo, 7 de agosto de 2011

O amor segundo a neurociência

 Cansei da sua artimanha pavloviana
 Da sua impregnação na minha área hipocampal
 Dos seus jogos e encantos de cigana
 Da sua inocência com ar imperial

Você com essa sua estratagema
Já me seduziu outrora
No entanto, ativar a minha área postrema
É só o que consegue agora

Baby, eu sou ser racional
Não duvide da votilidade
Do lobo frontal

Saia já da minha vida
Sem mais, sem despedida
Porque eu cansei de ser seu cão

Ana Carolina Alencar

Nenhum comentário:

Postar um comentário