sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Adeus

Ouço
Os mesmos passos na estrada
Já nem sei se sou eu
De mão sempre atadas
Meu universo virou breu
Vejo
Na estrada para o horizonte
Muito de mim se perdeu
E o rio desagua aonde ?
O que de fato foi meu?
Sinto
O olhar que outrora desabrochou o sorriso
Desafinar o meu canto
Por discordar do meu juízo
Hoje me acabo em pranto
Degusto
O amargo do beijo seu
No pesadelo que me embebeu
A sua ausência já me sufocou um dia
Hoje sua presença falta não me faria
Como pássaro engaiolado
 Esse amor mora em meu peito
Que nesse dia ensolarado
Já é laço desfeito
Sinto aroma de Adeus 
Deixo-o enfim voar...
Ana Carolina Alencar

Nenhum comentário:

Postar um comentário